A previsão do tempo para próxima semana é de muita chuva a partir do domingo, e Boa Vista, como já é comum todos os anos, deve registrar mais dias de temporal. Não existe nada de extraordinário nisso, a não ser pelo fato de que as ruas continuam alagando, e muito.

Quem chega de fora não imagina que uma cidade com as vias principais tão bem urbanizadas, com milhões de recursos federais investidos, através de vultuosos “convênios jucarianos”, enfrente o problema básico de drenagem.

Drenagem, em uma explicação bem simples, é um conjunto de soluções (obras) que se traduzem em colocar dutos mais largos (galerias) e bueiros nas esquinas com maior capacidade de escoamento das águas da chuva, entendendo que o volume que cai na região é acima da média nacional.

Me recordo da década de 90, no Amazonas, quando parte da cidade padecia do mesmo mal. Só se resolveu fazendo a “bendita” da drenagem. Lá, outras medidas foram tomadas, pois, diferente daqui, tinham os igarapés que cortavam a cidade toda e dificultavam a solução. O fato é que a mesma chuva que cai lá, certamente cai cá. Desde sempre.

A atual gestão de Teresa Surita, midiática, criou uma “Patrulha da Chuva”, excelente para o Marketing, mas péssima pra quem tem que enfrentar as alagações,  já que a tal patrulha se resume em uma ‘linha telefônica’ pra você avisar quando a água “acabar” com suas coisas. Mais uma vez, a culpa é da natureza.

É bom que se diga que Surita teve 80% de votos na última eleição e que ela não governa Boa Vista a 4 anos, já são quase 20 à frente da administração da capital. Tempo mais que suficiente para “amar Boa Vista” a ponto de não permitir que esta questão continue tirando o sono e tranquilidade das famílias.  Coisas assim me fazem ter certeza de que quando dizem que o povo tem memória curta, não estão mentindo.

*A foto que usei neste artigo é do site G1 RR, datada de 2013. Só para mostrar que o problema não é de hoje.