Os candidatos aprovados no último vestibular da Universidade Estadual de Roraima (UERR) para os cursos de Geografia, Filosofia, Química, Matemática, Turismo e Engenharia Florestal realizarão um protesto em frente à instituição de ensino superior para exigir uma solução em que os 140 candidatos possam assumir as vagas.

A manifestação que deverá ocorrer nesta segunda-feira (5), às 8h foi e será organizada pela filha de um dos aprovados no vestibular, Paloma Mota, que entende que o pai foi prejudicado em não poder iniciar a formação no curso de matemática, este ano. A universidade afirma que a quantidade de aprovados foi inferior ao número de vagas para formar turma.

A jovem também elaborou uma nota de repudio contra a não convocação dos 140 aprovados. “Venho através desta nota declarar minha indignação com a falta de respeito e consideração com os 140 candidatos que foram classificados de acordo com o certame 031/2017 que se refere ao vestibular 2018 UERR e não foram convocados! isso mesmo não foram convocados para a realização da matrícula, sendo assim impedidos de cursar os seus tão sonhados cursos”, destacou.

A Associação dos Estudantes de Roraima (Assoer) também repudiou, por meio de nota, a atitude da instituição. “Chamamos a atenção do reitor da UERR,  Regys Odlares Lima de Freitas, do secretario estadual de educação, José Gomes da Silva e da governadora Suely Campos, que tenham mais respeito com os docentes, os alunos e a comunidade acadêmica. A Constituição Federal deixa claro que todos tem direito a educação”.

Além de Paloma Mota, da Assoer, alguns professores da UERR, o Centro Acadêmico de História da UERR (Cahis) se mostram solidários ao problema enfrentado pelos candidatos. “Essa solução de apenas devolver o valor da inscrição não é adequada ao ensino público. Essas pessoas estudaram, se dedicaram para conseguir iniciar a formação no ensino superior, a universidade precisa adotar outro tipo de medida em que os aprovados possam assumir as vagas”, disse Jaqueline Oliveira, presidente do Cahis.

O vereador e professor universitário Linoberg (Rede) também manifestou, por meio nas redes sociais,  apoio aos 140 candidatos que não foram autorizados a realizar a matricula. “Poxa UERR estamos esperando uma solução mais compreensível sobre o vestibular/matricula nos cursos que foram cancelados. São 140 pessoas e famílias que se dedicaram pra caramba por um dos momentos mais bacanas em nossas vidas. E agora é só devolver o dinheiro e Tchau?”, disse na publicação.

Outro lado

Na sexta-feira (2), a UERR se manifestou acerca do problema por meio de uma no site da instituição. Veja na íntegra:

NÃO CONVOCADOS – Foram convocados somente os aprovados em 16 cursos, dos 22 oferecidos no último vestibular. Ficaram de fora Engenharia Florestal, Filosofia, Geografia, Matemática, Química e Turismo. Os seis cursos não completaram o número necessário de candidatos aprovados para abertura de turma, como prevê o item 15.14 do Edital nº 031/2017.

DEVOLUÇÃO – Os candidatos que foram aprovados, mas não foram convocados, têm 30 dias para solicitar, mediante requerimento específico, a devolução do valor referente à taxa de inscrição. A devolução deve ser requerida na CPCV (Comissão Permanente de Concurso e Vestibular), no horário das 8 às 14 horas.

 

Foto: Divulgação