A ação de garimpeiros ameaça os indígenas Yanomami. A constatação é do Ministério Público Federal em Roraima (MPF/RR) que propôs ação civil pública, com pedido de liminar, contra a União, a Fundação Nacional do Índio (Funai) e o Estado de Roraima para que sejam tomadas as medidas necessárias ao pronto restabelecimento das atividades permanentes nas Bases de Proteção Etnoambiental (BAPEs) das terras indígenas Yanomami.

Na ação, o MPF requer que as BAPEs da Serra da Estrutura, Demarcação e Korekorema sejam reativadas, com fornecimento de recursos materiais e humanos necessários para fiscalizar e inibir a ação de garimpeiros nas comunidades, bem como garantir o bem-estar da população local e a preservação dos recursos naturais das terras indígenas. Veja na reportagem:

 

 

Manifestação do Estado 

A Procuradoria-Geral do Estado de Roraima informa que o Estado ainda não foi intimado formalmente sobre a ação civil pública que pede a reativação das atividades permanentes nas Bases de Proteção Etnoambiental (BAPEs) das Terras Indígenas Yanomami. Somente após a notificação, poderá se manifestar sobre o teor da ação.

 

Foto: MPF