O deputado estadual e presidente da Assembleia Legislativa de Roraima (ALE-RR), Jalser Renier (SD) afirmou durante nesta quinta-feira (11) que governo precisa realizar reforma administrativa urgente. De acordo com o presidente da Casa Legislativa, o Estado só não está enfrentando crise mais acentuada desde o ano passado por causa da repatriação de recursos, quando recebeu R$ 105 milhões que estavam em conta no exterior de forma ilegal e retornaram ao Brasil por meio Especial de Regularização Cambial e Tributária (Rerct), que foi finalizado em outubro de 2016. “O Governo não tem dinheiro para pagar a folha de pagamento, as empresas terceirizadas, o duodécimo dos Poderes, crédito do povo. Não tem recursos pra pagar nada”, comentou Jalser Renier.
Referente ao empréstimo concedido ao Governo do Estado, no valor de R$ 5 milhões, Jalser disse que se encontrou na quarta-feira (10) com Suely Campos (PP) e o presidente do Tribunal de Contas do Estado, em reunião mediada pela presidente do TJRR (Tribunal de Justiça de Roraima), desembargadora Elaine Bianchi. “Nós tivemos a convicção e a certeza de que a Assembleia precisava fazer alguma, porque o servidor não pode ficar sem receber o salário”, reconheceu o presidente da ALE-RR. Ainda conforme Jalser o empréstimo só foi possível após conversar com representantes das empresas fornecedoras e prestadoras de serviços ao Poder Legislativo, que consentiram.
O presidente da ALE-RR ainda explicou que, “o Poder Legislativo e o TCE estão devolvendo algo em torno de R$ 10 milhões para o Estado, por meio desse empréstimo, e o Governo tem que devolver até dia 30 de janeiro”.
A Assembleia emprestou R$ 5 milhões, o TCE pouco mais de R$ 4 milhões, referente ao duodécimo do mês de dezembro e o TJRR abriu mão do duodécimo no valor de quase R$ 16 milhões referente ao mês de janeiro, previstos para ser repassado ao Executivo até dia 20 deste mês.
Área de anexos