Por Tamille Cunha

Boa Vista (RR)

Na sessão desta terça-feira (6) que marcou o inicio dos trabalhos legislativos da Câmara Municipal de Boa Vista (CMBV), a prefeita Teresa Surita (MDB) fez discurso em que elencou diversos pontos  que ela qualificou como positivos a reabertura de postos de saúde, restabelecimento das farmácias e a melhoria na qualidade da educação. Ela falou em parceria com os vereadores. “Nada disso teria acontecido sem o apoio de vocês, senhores vereadores e senhoras vereadoras, que aceitaram o desafio e firmaram conosco esse pacto de transformação, que ainda continua”, disse.

É a primeira vez em 5 anos que a prefeita participa da abertura dos trabalhados da Câmara. Teresa ainda ressaltou ações nas áreas de políticas sociais, na infraestrutura da capital e segurança. No discurso a prefeita ainda destacou o problema da crise migratória venezuelana, que, de acordo com ela, está afetando a vida dos moradores de Boa Vista. “A prefeitura não tem poder de resolver esse problema, que é de cunho internacional. É uma questão para o governo federal buscar soluções e precisa realizar ações imediatas”, pontua.

Na avaliação do vereador Zélio Mota (PSD), o discurso da prefeita foi positivo. “Isso aproxima o Poder Legislativo do Executivo. Eu tenho certeza que essa aproximação só fortalece os poderes municipais onde o foco maior e o bem comum de todos. Nós percebemos avanços em várias áreas da capital, como as que a prefeita destacou em educação, saúde”.

Mota ainda enfatizou que o entendimento da Casa Legislativa Municipal sobre o problema dos imigrantes venezuelanos é de âmbito do Governo Federal visto que se trata de estrangeiros. “Foi aberto o diálogo com o governo federal, mas nós estamos aguardando que ele proporcione as ações para promovermos as estruturas necessárias para atender essa questão”, afirma.

Em seus discursos, o presidente da Casa, vereador Mauricélio Fernandes (MDB), e a prefeita, ressaltaram a parceria entre os Poderes Legislativo e Executivo Municipais para a “reconstrução” e “transformação” de Boa Vista nos últimos cinco anos.“A prefeita sabe da importância desta parceria, que culminou com a reconstrução da nossa belíssima capital, constituída de um povo pacifista, ordeiro, decente, trabalhador e honesto a quem muito nos orgulha de servirmos”, disse Fernandes

Oposição

Já na avaliação do vereador Linoberg (Rede), falta uma autocrítica. “O sistema de saúde com problemas, ele não pode recair nas costas dos venezuelanos porque a gente já possuía filas nas portas de posto de saúde. Com relação a educação, não é só sala de aula, prédio ou parede que faz a escola, é a saúde de professor, é a saúde mental dos estudantes. Eu não posso acreditar que o programa Família que Acolhe irá de fato resolver os problemas de questões sociais daqueles que não estão na pequena infância”.

Ainda conforme Linoberg, o discurso de Teresa deu a “sensação de que foi a leitura da propaganda eleitoral da prefeita”. Para ele, a Câmara ainda não entendeu que o diálogo com a prefeitura é com orçamento. “O orçamento ficou nas mãos do que o executivo queria. É muito fácil agregar a responsabilidade da crise venezuelana somente ao Governo Federal. Cadê o abrigo municipal que não foi construído em lugar algum?”, questionou.

 

Foto: CMBV