O apresentador e possível candidato a presidente da república, Luciano Huck, utilizou 1 empréstimo de R$ 17,7 milhões do BNDES para financiar a compra de 1 jatinho particular da Embraer. A aquisição foi realizada em 2013. As informações são do blog Tijolaço e foram confirmadas pelo BNDES à Folha de S. Paulo.

O empréstimo foi feito por meio da linha de financiamento Finame, focada em máquinas e equipamentos nacionais, e teve como beneficiária a Brisair Serviços Técnicos e Aeronáuticos Ltda, empresa da qual o apresentador e a mulher, a também apresentadora Angélica, são sócios.

A empresa aproveitou o PSI (Programa de Sustentação do Investimento), destinado ao financiamento de investimentos de empresas, compras de bens de capital e ações de pesquisa. Com isso, conseguiu uma taxa de juros subsidiada de 3% ao ano. A operação (íntegra) teve, ainda, 5 meses de carência e 114 meses de prazo para pagamento.

No PSI, extinto em 2016, os empréstimos eram feitos a taxas inferiores a TJPL (Taxa de Juros de Longo Prazo), usada até o ano passado nas operações do banco de fomento, de 6,75% ao ano. No Finame, as operações são realizadas por meio de 1 agente financeiro credenciado, que, nesse caso, foi o Itaú.

Procurada pelo jornal Folha de S.Paulo, a assessoria de Luciano Huck informou que o apresentador utiliza a aeronave duas vezes por semana para gravar o programa exibido pela TV Globo. Também afirma que o PSI “é 1 programa de incentivo à indústria nacional, por isso financia os aviões da Embraer”.

O BNDES diz que as condições do financiamento seguiram as definições do PSI e que, até dezembro de 2017, houve mais de 1 milhão de operações com as condições do programa.

 

Fonte: Folha de S.Paulo/ Poder 360