O MPF afirmou, mais uma vez, que os recibos de aluguel apresentados pela defesa de Luiz Inácio Lula da Silva são falsos. Alguns têm datas que não existem no calendário. A conclusão consta das alegações finais (íntegra) incluídas ontem (11.jan.2018) no processo que apura se os documentos eram verdadeiros.

Segundo os procuradores, Lula seria o verdadeiro dono de 1 apartamento vizinho ao que o ex-presidente mora, em em São Bernardo do Campo. O imóvel teria sido comprado pelo advogado Glaucos da Costamarques com dinheiro da Odebrecht, de acordo com a denúncia.

Os recibos com datas inconsistentes são do contrato de aluguel firmado entre Costamarques e Marisa Letícia, ex-mulher de Lula. A defesa do ex-presidente afirma que o apartamento é alugado pela família há muitos anos.

Costamarques afirmou à Justiça que recebeu a visita de advogados de Lula para que ele assinasse recibos entre 2011 e 2015. Ele alega que passou a receber o valor do aluguel após 2015.

A defesa de Lula nega irregularidades. Os advogados do ex-presidente ainda irão apresentar suas alegações finais, assim como Costamarques. Só depois o juiz Sérgio Moro irá decidir sobre a veracidade dos documentos.

 

Fonte: Poder 360

 

Foto: Sérgio Lima/Poder360