O presidente da Câmara dos Deputados, Rodrigo Maia (DEM-RJ), considera que o centro pode ter mais de um candidato nas eleições presidenciais e, pela primeira vez, não descarta o seu próprio nome como uma das opções para a disputa em outubro.  Ao jornal O Globo, Maia diz que  acho arrogante a tese de que só um pode ser candidato do chamado centrão em referência a pré-candidatura do governador de São Paulo, Geraldo Alckmin (PSDB) que disputará prévias com o prefeito de Manaus, Arthur Neto, também do PSDB.

“Serão construídas as candidaturas que tiverem êxito em viabilizar seus projetos. Como há muitos partidos hoje no Brasil, uma sigla pode construir apoios com três alianças e outra, com quatro. Ir para a eleição de primeiro turno com a preocupação de que vai dividir muito um campo ou outro, que vai inviabilizar A, B ou C, acho um erro. Considero importante que se construa de forma natural uma ou duas alianças. Ou três. O que for melhor. O que não pode é a imposição ao outro de uma aliança. Se, por exemplo, o (Geraldo) Alckmin se viabilizar por um lado e o (Henrique) Meirelles se viabilizar por outro, por que um tem que abrir mão para o outro?”, disse.

Veja entrevista na íntegra no site do jornal O Globo.