O discurso de Michel Temer nas Nações Unidas percorreu todos os temas candentes da diplomacia internacional, da guerra da Síria ao estrangulamento da democracia na Venezuela, mas passou longe dos problemas do Brasil.

 

O presidente tentou rebater a repercussão internacional de iniciativas contra a proteção da floresta brasileira — basta lembrar que, em visita à Noruega em junho, passou pelo constrangimento do anúncio de um corte de 50% nas verbas do país para a proteção da Amazônia, por causa do aumento do desmatamento.

 

Também defendeu, sem citar que chegou ao poder depois do impeachment, “o novo Brasil que está surgindo das reformas, um país mais aberto ao mundo”. Sobre o escândalo de corrupção que o tornou o primeiro presidente denunciado no cargo na história do país, nem uma palavra.

 

Veja a análise completa no site do O Globo.

 

Foto: Shannon Stapleton / REUTERS