A Secretaria de Comunicação Social da Presidência da República confirmou as três agências que manejarão a conta de R$ 208 milhões para propaganda do Planalto. NBS/PPR, Calia e Artplan foram declaradas as vencedoras da licitação.

Duas das agências vencedoras não ficaram entre as 3 primeiras no edital. O resultado divulgado em abril apontou NBS/PPR, Young & Rubican e DPZ&T como as três melhores qualificadas.

A Young & Rubican, que ficou em 2º, se retirou do pleito em abril. A DPZ&T, 3ª colocada na concorrência, foi excluída do processo por problemas com a documentação. Não tinha CNPJ registrado no Sicaf (Sistema de Cadastramento Unificado de Fornecedores) e não teve a autenticação de documentos reconhecida. A agência entrou com recurso contestando a exclusão, mas a Secom confirmou o resultado.

A Fischer América ficou em 5º lugar, acima da Artplan. Mas foi excluída do processo por não comparecer à reunião que desqualificou a DPZ&T do caso. A agência entrou com recurso alegando que a audiência era só para as três vencedoras da licitação. Também foi negado.

As três vencedoras substituem as agências Leo Burnett, Nova/SB e Propeg, atuais responsáveis pela publicidade de Michel Temer. O contrato deve ser assinado nos próximos dias e tem duração de um ano, com possibilidade de renovação.

 

Fonte: Poder 360

 

Foto: Evandro Sá/  AFP PHOTO