Na próxima semana, um verdadeiro embate político vai começar na Assembleia Legislativa de Roraima em torno do pedido de impeachment da governadora Suely Campos (PP), proposto pelo deputado Jorge Everton (PMDB) no relatório final da CPI do Sistema Prisional.

É fato que o sistema penitenciário está um caos e que o estado deve ser responsabilizado pela tragédia ocorrida em janeiro, quando cerca de 40 presos morreram esquartejados e decapitados por membros de facções criminosas. Mas também é fato que essa realidade dantesca vem sendo fomentada há muitos governos, que nunca deram a devida atenção ao sistema prisional.

Aliás, os próprios deputados que hoje querem apear Suely Campos do poder têm certa dose de responsabilidade. Desde o governo de José de Anchieta, quantos milhões os parlamentares que criticam o caos no sistema prisional destinaram para melhorar as condições da Penitenciária Agrícola do Monte Cristo, por exemplo?

Muitas foram as visitas para “ver de perto as condições” em que os presos são confinados, sem o mínimo de dignidade, e pouco ou nenhum dinheiro foi colocado no Orçamento Anual para sanar os problemas.

As licitações para a contratação do serviço de fornecimento da alimentação destinada aos detentos não eram menos problemáticas e direcionadas do que são agora. O problema é que as pessoas beneficiadas mudaram e isso causa incômodo a quem detinha a primazia de se beneficiar dos contratos.

Claro que as soluções para os problemas existentes no sistema prisional têm que ser buscadas, mas não se pode usar de dois pesos e duas medidas. Esses problemas são tão antigos quanto a miopia programada dos membros do G14 ou G15.

A questão é que querem fazer o impeachment de Suely e não será difícil que o consigam, pela fraqueza política da própria governadora e pela falta de união e de uma estratégia inteligente da bancada governista.

Suely está prestes a passar pelo mesmo embaraço porque passou Dilma Rousseff em âmbito nacional. E as motivações para o seu impeachment aqui, assim como em Brasília, andam longe de ser republicanas.

Vamos guardar para conferir em que bases vai se dar esse embate.

O que você pensa a esse respeito? Deixe o seu comentário.